A Maldição do Vencedor

Autor: Marie Rutkoski
Editora: Plataforma21
Ano: 2016
Páginas: 328
Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A Maldição do Vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá?

Kestrel é uma jovem apaixonada por música, perdeu sua mãe ainda cedo para uma doença que quase a levou também. É filha do General de Valória e a única coisa que deseja é ser livre, poder tomar as próprias decisões, mas seu pai deseja quase o oposto, ele sonha que Kestrel se aliste e siga seus passos, se tornando uma guerreira.

Por ser filha do General, se espera que ela seja um exemplo para sociedade, e por isso costuma ser sempre o centro das atenções e fofocas.

Apesar de seu pai fazer vista grossa para quase todos os seus caprichos e desejos, ainda sim Kestrel tem um enorme peso sobre os ombros, e gostaria de ter mais tempo e opções além do de se alistar ou casar.

Tocar o seu piano, foi um direito que ela ganhou depois de barganhar muito com seu pai, afinal, na sociedade Valoriana, um Valoriano que toca musica não é muito bem visto, normalmente isso fica a cargo dos escravos Herrani.

Mesmo sendo um pouco diferente das outras moças da sociedade, Kestrel é uma pessoa querida, e sabe que sempre pode contar com pessoas que se importam com ela, como seus amigos Jess e Ronan, e sua ama, que a criou como uma filha, apesar de ser uma escrava Herrani.

Seguindo sua rotina, até que precise falar para seu pais qual decisão tomou, se alistar ou casar, Kestrel está passeando com sua amiga Jess, até que acaba no meio de um leilão de escravos Herrani, sem ter como sair, ela se vê hipnotizada pelos olhos do escravo sendo leiloado, e quando percebe ela o “adquiriu”, depois de gastar uma quantia enorme.

O Herrani é Arin, um escravo muito observador, o que só contribui para que Kestrel fique mais intrigada ainda, pois durante o leilão, foi falado que ele era um bom ferreiro, que acaba provando ser verdade e um ótimo cantor, o que ele nega quando é questionado.

Então um tempo depois do leilão, Kestrel decide que além de trabalhar como ferreiro durante algumas horas, Arin será também seu acompanhante, o que acaba aproximando muito eles. E com essa aproximação, sentimentos como ódio, confusão, dever e paixão, acabam surgindo.

Os mundos deles são muito diferentes, mas muito parecidos. Kestrel é muito inteligente e uma ótima estrategista, por isso a pressão de seu pai para se alistar, mas ela não deseja usar isso para gerar mais guerra. Quanto a Arin, que é tão inteligente quanto, ele está disposto a usar ela e muito mais para ajudar seu povo. Entre tudo isso, algo surge e os dois vão precisar fazer uma escolha.

Bom, eu encontrei certa semelhança entre a história desse livro e a de Romeu e Julieta. Ela tem a dose certa de ação, drama e claro de romance.

No começo desconfiei muito de Arin, o que mostrou que ele merecia minha desconfiança, mas depois ele conquistou meu coração.

O peso que os dois carregam é muito grande. Arin quer vingança e a liberdade de seu povo. Kestrel quer ser livre. E quando os dois ficam mais próximos, a lealdade de cada um fica em xeque, que é bem compreensível. Mas nem por isso eu fiquei menos angustiada com cada decisão que eles tomavam.

Essa não é uma história onde eles abrem mão de tudo para ficarem juntos, pelo menos não ainda, essa é uma história cheia de reviravoltas, estratégias, guerra, o desejo de um povo pela sua liberdade, a queda de outro, e no meio disso tudo um amor que pode ou não sobreviver e vencer.

Posso dizer que estou apaixonada por esse livro, e não vejo a hora de ler os outros dois, pena que ainda não tem previsão de lançamento para eles.

AVALIAÇÃO

assinatura-viviane

Um comentário:

  1. Oi Viviane!

    Só leio resenhas positivas desse livro! Tenho muito vontade de conferir porque a premissa é mesmo bem interessante!!

    Bjs, Mi


    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir